Todas as postagens desse blog, são de inteira responsabilidade do colaborador que a fez e refletem apenas a sua opinião.
Caso você tenha interesse em colaborar com esse Blog, por favor, envie uma mensagem para redator@ame-rio.org

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Mitos e Verdades Sobre Abelhas

5 Mitos e Verdades Sobre Abelhas

Por Laurence Packer

Existem quase 20 mil espécies conhecidas de abelhas.
 A maioria delas não se encaixa na visão tradicional do que uma abelha pode fazer e algumas delas não se encaixam em nenhum dos arquétipos que as pessoas normalmente lembram, quando elas pensam em abelhas. Conheça alguns dos mitos mais comuns sobre as abelhas e veja como você pode ajudá-las.

 

Mito número 1: todas as abelhas produzem mel


Apenas as abelhas domésticas (Apini) e as abelhas sem ferrão (Meliponini) produzem mel suficiente para estocar, possibilitando-nos dessa forma o uso eficiente de sua reserva alimentar. Existem menos de dez espécies de abelhas domésticas e menos de 450 espécies de abelhas sem ferrão. As abelhas mamangavas (Bombini) são representadas por cerca de 260 espécies e podem ter uma colher ou duas de mel em seus ninhos. Assim, no final, menos de 5% das espécies de abelhas produzem mel.
  

 Mito número 2: todas as abelhas ferroam


O ferrão é um aparelho ovo-positor modificado. Conseqüentemente, só as abelhas fêmeas podem ter o equipamento necessário à ferroada. Mas mesmo as fêmeas de muitas espécies de abelhas não ferroam. Na maior parte das espécies de abelhas, o aparelho do ferrão ainda está presente, mas não funciona. Em alguns casos o aparelho do ferrão desapareceu quase completamente.

 Mito número 3: As abelhas vivem em sociedades complexas

As abelhas domésticas e as abelhas sem ferrão vivem em sociedades perenes com uma complexa divisão do trabalho. Não só elas têm rainhas e operárias, mas as operarias freqüentemente são especializadas na execução de tarefas específicas como cuidar dos jovens, remover os mortos ou defender o ninho. Algumas abelhas vivem em pequenos grupos, as sociedades simples, que raramente duram mais do que um verão. Mamangavas e algumas abelhas do suor são exemplos de formação de curtos grupos sociais. A maioria das abelhas é solitária: uma única fêmea constrói o ninho, coleta comida suficiente para o desenvolvimento completo de uma prole, coloca um ovo sobre a massa alimentar e, em seguida, repete o comportamento de forrageamento e postura de ovos e outra vez. As interações sociais da maioria das abelhas são limitadas ao acasalamento e postura dos ovos. Noventa por cento das espécies de abelhas não formam grupos sociais.              

 Mito número 4: As abelhas vivem em colméias

 das abelhas sociais pode-se dizer que vivem em uma colméia. Como a maioria das espécies de abelhas são solitárias, a maioria das abelhas não vive em colméias. A maioria dos ninhos de abelhas solitárias são construídos em tocas no chão, algumas fazem seus ninhos em tocas abandonadas de besouros na madeira, ou em cavidades escavadas na parte macia das hastes. Algumas fazem seus ninhos de barro ou resina e aderem suas células de cria em superfícies duras.
 Mito número 5: As abelhas trabalham duro

A expressão "ocupado como uma abelha" é certamente verdadeira em se tratando de operárias de abelhas domésticas, abelhas sem ferrão ou mamangavas. Machos fazem pouco ou nenhum trabalho no ninho e as fêmeas da maioria das abelhas solitárias podem trabalhar por apenas um par de semanas. Indivíduos de algumas espécies de abelhas não constroem ninhos ou coletam comida. Estas são as abelhas cuco que colocam seus ovos nos ninhos de outras espécies de abelhas. Há também as abelhas sociais parasitas que invadem os ninhos de abelhas sociais e substituem a rainha, tamando as filhas da monarca deposta como escravas para tratar seus filhos.
                 
5 maneiras de ajudar as abelhas

Por Laurence Packer

Abelhas estão desaparecendo. Uma vez que as abelhas são responsáveis por até um terço do abastecimento de alimentos, as conseqüências são assustadoras. Aqui estão cinco coisas que você pode fazer para garantir que elas fiquem por perto.

 1. Compre orgânicos

 

Quer se trate de impactos diretos dos produtos químicos sobre as abelhas, ou os seus efeitos sobre outros componentes essenciais do meio ambiente, a compra de alimentos e outros produtos (flores, madeira) que sejam livres de pesticidas e herbicidas deve ser incentivada.

2. Não utilize pesticidas e herbicidas


Exatamente pela mesma razão acima, você ajuda as abelhas de seu próprio quintal ao não adicionar estes produtos químicos ao meio ambiente.

    3. Plantar flores atrativas para as abelhas, de preferência as espécies nativas.

Muitas variedades de plantas de jardim, vistosas e ornamentais, não são tão úteis para as abelhas como as flores nativas ou variedades hortícolas que tem uma estrutura simples. A maioria das abelhas não pode recolher o pólen e o néctar das flores complexas como gladíolos ou delphiniums. Muitas asteráceas (margaridas, mini-girassois), cardos e outras  flores de estruturas simples são mais benéficas para as abelhas.

 4. Proporcionar locais de nidificação, ou pelo menos não remover aqueles que estão lá

Muitas abelhas fazem seu ninho no chão, recobrir  a superfície do solo com capim, palha ou composto o torna inadequado para a maioria de nidificação de abelhas de solo. Caminhar sobre a grama é uma boa idéia; gerando solo descoberto nos gramados você fará locais de nidificação para abelhas chão para viver. Deixar as hastes do ano passado da framboesa ou da cana no lugar, ou agregá-las e pendurá-las em um local protegido no jardim,  fornece ninhos para abelhas que nidificam tronco.

 

 5. Encorajar os políticos a todos os níveis de governo para desenvolver políticas simpáticas às abelhas.


Há algumas coisas que um indivíduo pode fazer em casa. Já os políticos exercem muito poder e devem ser encorajados a criar ou aprovar leis e regulamentos que, por exemplo, diminuam o uso de contaminantes químicos e a derrubar a legislação que proíbe o plantio de "ervas daninhas" em jardins de pessoas. Incentivar os processos de tomada de decisão para conservar os habitats ameaçados e as áreas nativas remanescentes vai fazer muito na manutenção do habitat de algumas das mais raras das nossas abelhas.
  


Os dados dessa postagem foram retirados das páginas

4 comentários:

  1. gostei muito disso otimo parabens pr quem fez isso

    ResponderExcluir
  2. as abelhas são diabólicas eu as odeio elas ferroam pra caramba!!!!! e dói muito de mais!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende, existem abelhas com ferrão e abelhas sem ferrão, na verdade com um ferrão atrofiado, não funcional. Entre as abelhas sociais, isto é aquelas que vivem em grupo, com uma rainha e uma quantidade grande de abelhas operárias e mais os zangões, só as abelhas do gênero apis, possuem ferrão funcional. Essas abelhas não são nativas do Brasil, são abelhas europeias, asiáticas ou africanas que foram trazidas para cá, para serem criadas para produção de mel e cera. Como muitos enxames escaparam e foram para a natureza, hoje no Brasil e em toda a América existem abelhas com ferrão se reproduzindo sem controle. Mas até a chegada do homem branco as Américas todas as abelhas criadas por aqui, pelos Maias, Incas, Astecas e outras etnias como os Tupis e os Guaranis, eram abelhas sem ferrão, que não eram perigosas para ninguém e não ferroavam para caramba, como você está afirmando.

      Um abraço,

      Excluir