Todas as postagens desse blog, são de inteira responsabilidade do colaborador que a fez e refletem apenas a sua opinião.
Caso você tenha interesse em colaborar com esse Blog, por favor, envie uma mensagem para redator@ame-rio.org

quinta-feira, 11 de maio de 2017

AME-RIO FAZ PARCERIA COM AUSTRALIA PARA TRAZER TECNOLOGIA DE EXTRAÇÃO DE MEL DE TRIGONAS

Nós da AME-RIO vimos pesquisando métodos de coleta mais eficientes e principalmente que respeitassem as boas práticas, e resultassem em um mel de boa qualidade. Mas todas as tentativas foram em aperfeiçoamentos inspirados na boa e velha "Tampinha Mágica" que o Pedro Paulo usava, a partir de uma pera de aparelho de pressão com válvulas invertidas. 
  Já testamos vários outros modelos usando o mesmo princípio de funcionamento, incluindo tentativas com modelos elétricos a partir de compressores de ar para aquário com válvulas também revertidas. 





Até uma patente já foi requerida lançando alguns aperfeiçoamentos específico para esta modalidade de equipamento elétrico.
Bem...., todas estas tentativas tem como objetivo tornar a meliponicultura uma atividade competitiva, e deixar para traz costumes de coletar mel com técnicas tradicionais em que rasga-se os potes para que o mel escorra, ou alternativamente espremendo-os.
Neste sentido, pode-se salientar que já começaram a aparecer regulamentos nos quais há sugestão às boas práticas de coleta, como na Bahia através da Portaria ADAB nº 207 DE 21/11/2014, em que descreve nos itens:
2.3.2. Segundo o procedimento de processamento do mel de abelhas social sem ferrão:
2.3.2.1. Mel desumidificado: é o mel obtido por sucção dos potes, submetido a filtração ou não e posteriormente retirada a umidade.
2.3.2.2. Mel refrigerado: é o mel obtido por sucção nos potes, submetido a filtração ou não, refrigerado imediatamente após a coleta e armazenado até 8ºC/+- 2ºC.

A sucção de mel direto do pote para a embalagem nas meliponas resultou em uma ótima alternativa de coleta que mantém a saúde do mel. Mas as trigonas, geralmente constroem potes de mel bem menores e continuam sendo submetidas a práticas de coleta por meio da tradicional técnica de rasgar potes para depois escorrer ou espremendo-os diretamente. Inevitavelmente esta prática leva a graus diversos de contaminação do mel, que carreiam, enquanto escorre, as possíveis sujidades que estejam do lado de fora do pote de mel.

A tecnologia de sucção, bem aplicada nas meliponas, se mostra extremamente trabalhosa, e requer muita paciência por parte do meliponicultor, além de afunilar a produção de quem tem grandes volumes de mel de trigonas para coletar.

Um meliponicultor da Austrália, Robert Luttrell, que já esteve aqui na AME-RIO em visita de pesquisa, para melhor conhecer nossas tecnologias de caixas e de extração de mel, e assim tentar aplicar em suas abelhas trigonas carbonarias, desenvolveu uma tecnologia de melgueira/caixa/extrator de mel.
A tecnologia não é nova, temos notícia que brasileiros já tentaram desenvolver tecnologia neste sentido. (Tem reportagem na Doce Mensagem da APACAME - http://www.apacame.org.br/mensagemdoce/70/experiencia.htm)
Mas Bob Bee Man foi persistente e materializou um Kit com caixa/melgueira/centrífuga especificamente para a espécie Tetragonula carbonaria, que além de construir potes pequenos, os mesmos são dispostos em cachos. 
Pode ser visto uma das demonstrações do equipamento dele no vídeo abaixo. Observem a praticidade, a eficiência e principalmente a enorme redução do risco por contaminação com sujidades carreadas da parte externa do pote de mel. Poderia citar diversas outras vantagens, mas estas são as principais.
video
Extrator Centrífugo Bob Bee Man
Ele viajará para a Malásia para demonstrar sua centrífuga trabalhando, lá eles também criam trigonas.
A AME-RIO entrou em contato com o velho amigo de caminhada e firmamos uma parceria para realizar testes com esta tecnologia com nossas jataís, e posteriormente com outras trigonas. O teste inclui a construção de uma caixa para receber as melgueiras, e adaptabilidade do comportamento das jatais ao método de produção. Em uma segunda etapa faremos teste laboratoriais para constatar a redução do nível de sujidades típicas do método tradicional.

Estamos trazendo um KIT de melgueiras e o respectivo extrator centrífugo com a permissão dele para realizar todos estes testes e trocarmos informações para que o método/equipamento possa ser aplicado aqui no Brasil. Com o decorrer do tempo, vamos postando as etapas e seus resultados, que certamente vão ser um sucesso.
"Tamos aí Bob Bee Man!!" 

Nenhum comentário:

Postar um comentário