Todas as postagens desse blog, são de inteira responsabilidade do colaborador que a fez e refletem apenas a sua opinião.
Caso você tenha interesse em colaborar com esse Blog, por favor, envie uma mensagem para redator@ame-rio.org

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

TERRA QUE DEIXA SAUDADES

Miguel Pereira, cidade tranquila onde a natureza ainda se manifesta pelo frescor floral banhando as manhãs, cheiro de mato a correr com o vento, o sereno fresco neblinando a noite cheia de quietude.
Cidade onde se pode ver cavalos,
 
 Canários da terra
 Famílias de gansos,

e apreciar os arco-iris

Essa é a cidade onde vive um de nossos associados, Miguel Campos. Miguel Campos mora em Miguel Pereira a um passo do paraíso, onde um sujeito que esteja desavisado pode esbarrar com cobras e lagartos, mas também com Jataís e Mandaçaias ... Mirins, Guaraipos ...

Lá neste paraíso também vive Paulo Maia, um amante de abelhas sem ferrão. Que fez acordo com formigas e cupins e pousa as suas caixas no meio do mato, assim bem simples, sem preocupação ....

Camarada sossegado, mas muito sábio e ótimo anfitrião, faz vinho de mel "do bão". Caixa de Mandaçaia dele chega a ter 18 anos sem mexer, ... e a entrada virou corredor !!!

Uruçu Amarela ... viva, saudável, exuberante ...

A Iraí faz tanto tubo de entrada, que o tubo engrandece, pesa e cai, e no lugar vem logo outro para substituir ... as danadas não param de chegar com resina.
Eu e Miguel ... ali no meio do mato .... tentando achar as caixas escondidas por baixo das moitas ...

Em outra cidade não muito longe dali ... um quintal cheio de mato, e no mato muita caninha do brejo ... e na caninha do brejo, nada mais nada menos, do que mandaçaias trabalhando intensamente ...
Bzzzz, Bzzzz, das 6:00hs às 7:30 estão elas ali todo santo dia firmemente vibrando em cada conjunto floral ...
Aumentem o som e curtam o BZZZ Bzz BZZZ dessa trabalhadeira
video
Para os apreciadores de abelhas, mais alguns segundos de vídeo capturados com o trabalhar típico da Mandaçaia 
video
 O mais interessante da caninha do brejo, que não são só as mandaçaias que se lambuzam em suas delicadas flores, também visitam esta inflorescência a mamangava e a solitária, observem neste próximo vídeo.
video
Miguel Pereira ... terra de Miguel Campos, terra de Paulo Maia, terra de abelhas sem ferrão, terra para se encantar, terra onde as mandaçaias trabalham bem alí na sua frente durante toda manhã. Terra que deixa saudades em qualquer um que a conhece.


MEDINA

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Abelhas Sem Ferrão na Rondônia

Esta postagem na verdade é uma reprodução de uma reportagem sobre abelhas sem ferrão em Rondônia publicada no final de 2013 em :
      ------------------------------------------------------------------------------------

Researcher undertakes largest-ever survey of Brazil's stingless bees



O destino de abelhas sem ferrão no Brasil é tão importante que o pesquisador Chris Brown, da Universidade de Kansas, arriscou a vida para realizar um levantamento desses polinizadores vitais no estado de Rondônia, que faz fronteira com a Bolívia no sudoeste da Amazônia.



"A pesquisa coletou amostras em áreas onde grandes proprietários estavam em conflito com camponeses Sem-Terra", lembra Brown, professor associado de estudos ambientais e geografia na
Universidade de Kansas.  
 

"Isso foi um pouco assustador, enquanto nós estavamos lá a procura das abelhas, e uma picape se dirigia a nós com pessoal armado.

Pesquisamos em algumas das partes mais remotas do estado, em parques nacionais, e víamos caminhão após caminhão transportando enormes árvores de mogno para serrarias, em grande parte ilegal. Quase em todos os lugares que íamos tínhamos que convencer os habitantes locais que não éramos agentes do governo ou garimpeiros.

Mostrávamos algumas das abelhas capturadas por nós e conversávamos com as pessoas sobre elas. Em seguida, eles se mostravam felizes por estarmos fazendo pesquisa em suas terras".
Hoje, o jornal  Apidologie publicou resultados duramente conquistados por Brown.

Nativas dos trópicos, as abelhas sem ferrão são primas das abelhas apis. Elas são altamente sociais, vivem em colônias, com rainhas e operárias, onde armazenam mel e pólen para a alimentação.  As abelhas sem ferrão evoluem desde antes da separação do antigo continente de Gondwana, cerca de 150 milhões de anos atrás, antes do aparecimento de abelhas apis.
Gondwana, formada por terras que hoje são América do Sul, África, Austrália e Índia, é posterior ao continente único Pangeia que data de cerda de 225 milhões de anos atrás.






Cada espécie de abelhas sem ferrão faz seus ninhos em uma variedade de cavidades , como nos velhos cupinzeiros , o solo e árvores vivas.
"As abelhas sem ferrão desempenham um papel importante na polinização da floresta e dos ecossistemas agrícolas nos trópicos ", disse Brown. "Sem os polinizadores, muitas plantas, incluindo plantas em que os órgãos reprodutores amadurem em épocas distintas, não se reproduzem bem sem polinizadores. 
 

Qualquer oportunidade de proteger os polinizadores é uma chance de garantir a nossa própria sobrevivência humana. As abelhas em todo o mundo fornecem este serviço ambiental essencial. "
Ao longo de um ano, em 187 pontos de coleta de amostragem, Brown e seus colaboradores encontraram 9.555 indivíduos representando 98 espécies de abelhas sem ferrão. Dez dessas espécies eram inteiramente novas para a ciência.
"Mas essas abelhas desconhecidas têm sido conhecida e utilizada por povos indígenas ao longo dos trópicos ", disse Brown. "Quando encontramos uma espécie “nova” estamos simplesmente cientificamente identificando-a. "



 



Infelizmente o desmatamento, a agricultura e outras formas de destruição do habitat ameaçam abelhas sem ferrão em Rondônia, a região onde elas exibem sua rica diversidade agora registrada.
"Essas abelhas são espécies florestais ", disse Brown. " Elas sobrevivem melhor nesse ambiente. Leve as abelhas que nidificam apenas nas cavidades de árvores vivas . . . ou remova as árvores, e simplesmente não há lugar para elas viverem. Extinguir os polinizadores, e você acaba com um serviço ambiental importante que precisamos para a nossa própria sobrevivência . "



 



O pesquisador disse que a pesquisa da University of Kansas se ​​baseou em uma pesquisa realizada em 1996. Naquela época, já havia áreas densamente florestadas que foram altamente desmatadas e liquidadas pelos agricultores do sul do Brasil.

" O desmatamento foi causado pelo desmatamento para implementação de sítios e fazendas, e havia muita exploração madeireira", disse Brown. "Projetos de desenvolvimento sustentável têm sido implementados na região entre os agricultores, indígenas e outros grupos de camponeses para deter o desmatamento, mas infelizmente para as abelhas sem ferrão a pecuária e agricultura continuam a ganhar terreno. "
 

Colaboradores de Brown incluiram o saudoso Professor João Camargo, que liderou a identificação das espécimes e nomear novas espécies. Co-autor de Brown, Marcio Oliveira, é do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, ele era um estudioso de pós-doutorado em geografia na University of Kansas em 2010.
O Banco Mundial apoiou a pesquisa como parte do zoneamento socioeconômico-ecológico de Rondônia .
Oferecido pela Universidade de Kansas

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


A reportagem revela a quantidade de espécies de abelhas sem ferrão existentes em Rondônia, incluindo muitas espécies ainda desconhecidas da ciência. Achei importante registrar esta reportagem, pois o pesquisador Chris Brown faz um alerta em relação a importância da existência dessas abelhas para o meio ambiente, e para todos nós.

O homem se acha muito "Deus" em suas megalo-construções com soluções tecnológicas para todos os fins, muito auto suficiente em seus métodos trangênicos de produzir alimento para a massa populacional, mas a natureza vem mostrando ano a ano que não é bem assim. 
 


  O Brasil tem ressentido a alteração do clima, com chuvas torrenciais, alta temperatura. No USA o frio tem mostrado sua cara.... Até quando a humanidade vai achar que as cidades não dependem do clima .... 


Sensação térmica pode chegar a -51ºC

De onde vem o alimento trazido para as cidades? E também água, papel, roupas, e todos os demais recursos que mantém o conforto dos habitantes dessas selvas de concreto ? 
Então por que esperar que o governo tome providências ????


Você que passa todo dia por um terreno baldio, ou você que tem um espaço grande na calçada de casa ou no jardim ... Você já pensou, que caso já tivesse plantado uma árvore ano passado em um desses lugares, talvez já tivesse uma fresca sombra crescendo ao seu lado?
Já pensou que além de comprar um ventilador ou um ar-condicionado porque o calor aumentou, poderia já ter plantado uma árvore para fornecer uma sombra no futuro ?



O engraçado de quando plantamos uma árvore em nossa calçada, é que quando ela cresce o vizinho da frente vem estacionar o carro bem abaixo do nova sombra, mas continua sem plantar a sua própria sombra. Por incrível que possa parecer, já passei por isso !!!

Então não espere o vizinho, plante sua árvore. 
As abelhas vão agradecer, os pássaros também !!
 Seja um meliponicultor consciente ...
Acho que vou até lançar um desafio ....
Estamos no primeiro mês do ano de 2014.
Então desafio aos que aqui entraram e leram esta postagem a plantar uma única e somente muda de árvore em cada mês deste ano, e voltar aqui nesta postagem e colocar um comentário por Mês mencionando seu plantio .... Vamos ver o resultado em dezembro de 2014 !!!!
Como somos meliponicultores a melhor dica que seja uma MYRTACEAE ...
Eu começo o desafio ... estou com uma muda de amoreira em casa, e vou plantá-la ainda este mês !!!
    
 MEDINA